Slide background

Conheça os Núcleos Setoriais

O Programa Empreender busca, de forma conjunta entre as empresas de um mesmo ramo de atividade ou da mesma localização geográfica, elevar a competitividade e consequentemente a sobrevivência das micro e pequenas empresas, incentivando a busca de novos mercados e tecnologias, sensibilizando os empresários para adoção de posturas frente aos desafios atuais e futuros e desenvolvendo lideranças empresariais.

O Programa Empreender atua junto as empresas através dos Núcleos Setoriais, que são grupos de empresários de um mesmo segmento que se reúnem periodicamente nas Associações Comerciais, onde, com o apoio de um consultor, cujo papel principal é o de moderar as reuniões, discutem problemas comuns e buscam soluções conjuntas.

O diferencial de tantos outros programas é que no Empreender as soluções vêm “de baixo para cima”, ou seja, são apontadas e executadas pelos próprios empresários. Para tanto, o consultor, como facilitador das reuniões, faz uso de uma metodologia específica para trabalho com grupos originada na Alemanha, denominada METAPLAN.

A metodologia METAPLAN agrega a já conhecida tempestade de ideias em grupos (brainstorming) e a busca de metas e ações conjuntas.

O que reflete com fidelidade o espírito do programa é a forma de associativismo que ele propõe. Por ela, ninguém é obrigado a participar de um Núcleo Setorial. O convencimento vem pela nova visão de parceria, na qual o concorrente, longe de ser um competidor, é um cooperador de seu concorrente. E ainda com um diferencial: todos ganham.

Os Núcleos Setoriais são um grupo de trabalho, composto por representantes de empresas de um mesmo segmento ou não, tendo como objetivo aproximar e promover o associativismo, além de favorecer o desenvolvimento das empresas do seu setor e da economia do seu município. Os Núcleos Setoriais são orientados e acompanhados por um consultor designado pela Associação Comercial, sendo em Santa Helena a ACISA.

Quem pode fazer parte de um Núcleo Setorial? Empresas associadas à ACISA. A empresa será considerada nucleada a partir da 3ª participação consecutiva em reuniões do Núcleo, e deverá manter frequência mínima de 75%.

Se eu não sou associado da ACISA? A empresa não associada poderá conhecer a dinâmica do Núcleo participando de até três reuniões antes de associar-se à entidade. Após essa fase, para continuar a participar do Núcleo Setorial a empresa deverá associar-se. O participante passará a ser integrante do Núcleo contribuindo com o desenvolvimento do seu segmento.

Posso fazer parte de mais de um Núcleo Setorial? Sim, a empresa associada pode participar de mais de um Núcleo Setorial.

Como posso contribuir para o fortalecimento do Núcleo Setorial? Através da cooperação, confiança no trabalho em grupo e a participação ativa no Núcleo Setorial, trazendo para discussões aspectos comuns aos segmentos e, em conjunto, encontrar soluções. Essas soluções fortalecerão o segmento, desenvolvendo a sustentabilidade dos negócios.

Tem rodízio de tarefas e lideranças nos Núcleos Setoriais? Sim. Os Núcleos Setoriais elegem anualmente um coordenador, que fica responsável junto com o Consultor do Núcleo Setorial em tomar a frente aos trabalhos, envolvendo os nucleados no planejamento e trabalhando para que as ações efetivamente aconteçam. O coordenador pode se reeleger por mais de um ano ou integrar a diretoria.

O que é o Conselho dos Núcleos Setoriais? O Conselho é também um Núcleo Setorial, sendo formado pelos coordenadores dos Núcleos e tendo reuniões mensais. O Conselho busca aproximar os Núcleos, gerando intercâmbio de informações, além de promover os Núcleos Setoriais para a comunidade.

Quais as vantagens dos Núcleos Setoriais? Acesso a capacitação e consultoria; possibilidade de realização de compras e vendas em conjunto; participação em feiras, missões empresariais, eventos com maior regularidade e menor custo; ganho de qualidade produtiva e competitividade no trabalho do Núcleo Setorial; o trabalho dos núcleos setoriais além de trazer benefícios para as empresas participantes, gera impactos positivos nas entidades empresariais que promovem esta forma de organização da base.